TRE-ES aprova estudo de remanejamento de zonas eleitorais

TRE-ES aprova estudo de remanejamento de zonas eleitorais

TRE-MG  Rezoneamento banner notícia

O Pleno do Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TRE-ES) aprovou, na sessão administrativa extraordinária desta terça-feira, (15), proposta para reduzir de 59 para 51 o número de zonas eleitorais em todo o estado.

De acordo com o estudo foi indicada a extinção dos cartórios eleitorais localizados em Mantenópolis/Alto Rio Novo, Mucurici/Ponto Belo, Colatina/São Roque do Canaã, Linhares/Sooretama, São Mateus/Jaguaré, Dores do Rio Preto/Ibitirama, Presidente Kennedy, Pedro Canário, Cariacica (58aZE). A presidência do TRE-ES garantiu que o eleitor não será prejudicado, já que os locais de votação serão mantidos para as próximas eleições.

Das nove zonas eleitorais extintas, duas tiveram nova configuração: a 28ª (Muqui/Jerônimo Monteiro/Atílio Vivácqua) e a 41ª (Jaguaré/Sooretama).

A medida atende à determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que aprovou a Resolução 23.512/2017 e publicou a Portaria 207/2017, com o objetivo de realizar um rezoneamento eleitoral para "aprimorar o trabalho e economizar gastos com as zonas eleitorais".

O estudo de remanejamento aprovado pelos membros da corte eleitoral capixaba levou em consideração os critérios estabelecidos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), como a média de 100 mil eleitores por zona eleitoral situada em município com mais de 200 mil eleitores, densidade demográfica e os municípios que abriguem mais de uma ZE deverão possuir eleitorado médio de 70 mil, por zona eleitoral. A proposta do TRE-ES será submetida ao TSE.

De acordo com o resultado dos estudos realizados por técnicos do TSE, o rezoneamento deve promover uma economia de cerca de R$ 13 milhões por ano. Em todo o país, foram extintas 72 zonas eleitorais em 16 capitais.

Últimas notícias postadas

Recentes